Vitamina D e Doença Inflamatória Intestinal

Alguns estudos mostram que existe um link entre Vitamina D e DII. Portadores da DII são mais susceptíveis em terem baixos níveis de vitamina D, o que começou a ser estudado como um fator de risco para o desenvolvimento da doença.

Os receptores da vitamina D podem ser encontrados na parede celular e recebem sinais químicos que sinalizam para a célula agir de certa forma, ou se dividir ou morrer. Esses receptores são encontrados tanto na mucosa do trato digestivo quanto no sistema imune.

Quando verifica-se como vitamina D trabalha em portadores da DII, percebe-se que ela age diminuindo as proteínas inflamatórias que são produzidas demasiadamente nessa doença. Uma dessas proteínas são os fator de necrose tumoral, ou TNF. Alguns medicamentos para o tratamento da DII age bloqueando esse fator, e por isso acredita-se que a vitamina D possa ser uma forma natural de fazer esse bloqueio e ajudar a diminuição da inflamação no trato digestivo.

Apesar de acreditar-se que há um link entre o nível de vitamina D e DII ainda se faz necessário mais pesquisas para saber se a suplementação de vitamina D ajudaria na remissão da doença.

O que pesquisas recentes falam sobre Vitamina D e a doença inflamatória intestinal

Alguns estudos têm mostrado que pessoas que têm um nível maior de vitamina D tendem a ter menos síntomas, ou síntomas menos severos.

Pessoas que têm DII têm maior tendencia em der baixa densidade óssea, o que pode aumentar as chances de desenvolver osteoporose e até mesmo fraturas ósseas. A baixa densidade óssea pode ser causada por vários motivos como por exemplo o uso de corticosteróides por um longo período, baixa absorção de nutrientes ou até mesmo modificações na formação óssea devido a inflamação.

Vitamina D e a doença inflamatória intestinal

Vitamina D e a doença inflamatória intestinal

Apesar de vários estudos terem mostrado uma conexão entre vitamina D e a severidade da doença, nota-se que a maioria dos estudos foram estudos de observação, o que significa que não há a certeza de que vitamina D pode realmente ajudar o paciente entrar em remissão.

Um estudo experimental publicado em 2013 colocou 18 adultos com brando a médio sintomas de DII em observação. Eles começaram tomando 1000 IU de vitamina D por dia por duas semanas, e a dose foi aumentada a cada duas semanas até que chegasse em 5000 IU por dia. O tratamento demorou 24 semanas. O estudo observou os níveis de vitamina D, qualidade de vida e a atividade da doença. Os achados mostraram que os níveis de vitamina D após as 24 semanas aumentaram significantemente e os pacientes que tinham os menores níveis foram os que tiveram o melhor resultado. Dos 18 pacientes apenas um não teve uma melhora na qualidade de vida e diminuição dos sintomas da doença após o tratamento, e 75% dos pacientes entraram em remissão após o tratamento.

Os pesquisadores concluíram que uma dose diária de 5000 IU de vitamina D por dia pode ajudar na diminuição dos sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes com DII.

Outro estudo experimental foi feito em 2010 na Dinamarca. À pacientes em remissão foi dado 1200 IU de vitamina D e 1200 mg de Cálcio por dia para um grupo e um placebo mais a mesma quantidade de Cálcio para outro grupo. Foi constatado que as pessoas que estavam tomando a vitamina D tiveram menos períodos de atividade da doença quando comparados com aqueles que estavam tomando o placebo.

Os pesquisadores concluíram que a vitamina D pode ajudar a manter pacientes em remissão.

Em 2013, outro estudo publicado nos Estados Unidos recrutou um grande grupo e testaram os níveis de vitamina D e o que isso influenciaria na progressão da doença e percebeu-se que as pessoas que tinham baixo nível de vitamina D tinham maior propensão em serem hospitalizadas ou ter cirurgias relacionadas à DII. Também perceberam que as pessoas que tinham baixo nível de vitamina D estavam mais propensas a desenvolverem câncer, a cada 1ng/mL aumento no nível de vitamina D houve a diminuição de 6% no desenvolvimento do câncer colo-retal.

Como vocês podem perceber os estudos são vagos, e mais pesquisas são necessárias para avaliar a eficácia da vitamina D para o tratamento da doença inflamatória intestinal. Porém, já está comprovado que mesmo quem vive em regiões tropicais tem deficiência em vitamina D e deveria ser testado para saber os níveis e/ou começar a suplementação da mesma, principalmente se você é portador de DII.

Vitamina D não deve ser um substituto para o seu tratamento atual. Não pare de tomar os medicamentos para começar a se tratar com vitamina D. Converse com o seu médico ou sua nutricionista para saber qual a dose ideal de vitamina D para você. Muitos começam com 1000 IU diários.

Leia mais sobre Cálcio e Vitamina D e sobre Perda Óssea na DII.

Assuntos Relacionados
Talvez você goste também
Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *