Livro: “Registros de uma CROHNista”

DII

Há poucos dias nós postamos aqui no site um texto falando sobre o I Encontro de Portadores de Doença Inflamatória Intestinal, promovido pela Associação Mineira de Doenças Inflamatórias Intestinais (AMDII) com apoio da Abbvie. Também comentamos que, nesse encontro, seria feito o lançamento nacional do livro “Registros de uma Crohnista”, da Alessandra Vitoriano de Castro, mais conhecida por algumas pessoas por Leca. Ainda faremos um texto sobre o encontro, que com certeza irá mudar a realidade das doenças inflamatórias intestinais no Brasil, mas vamos começar pelo livro.

Registro de uma CROHNisra

Antes de mais nada, eu gostaria de falar que esse texto não é pra fazer uma propaganda para um livro. Longe de ser um marketing. Como alguns de vocês sabem, esse site é feito por duas pessoas portadoras de doença de Crohn e, sendo assim, estou escrevendo como portadora apenas. E estou escrevendo porque esse livro foi extremamente importante. A Leca vai saber desse texto só depois que ele for “ao ar”.

Tive um grande prazer de conhecer a Leca, autora do livro, na véspera do lançamento do livro. Sabe aquelas pessoas que de cara você já se identifica e gosta? Pois é. Foi assim com ela! Passamos juntas o dia seguinte todo, juntamente com a turma do encontro. E aí isso vai merecer um outro texto, porque foi uma das melhores experiências que tive como portadora. É até difícil não deixar os assuntos se confundirem aqui!

Ao longo do dia passei a admirar ainda mais a Leca. Descobri que ela foi presidente da AMDII por mais de 10 anos e conseguiu MUITAS, mas MUITAS vitórias para os portadores de DII. Já estava fã dela e ainda nem tinha lido o livro. Quando li…

Comecei a ler o livro na viagem de volta para minha cidade. Tive um grande problema (contarei depois) e me desesperei. Em grande parte da viagem o que me acalmou foi o livro. Ele teve uma importância pra mim que vocês nem imaginam. No livro, a Leca conta sua trajetória com a doença de Crohn. A gente se identifica em vários trechos! E isso foi muito importante porque, às vezes, eu me sinto uma “ET” por ser diferente da maioria das pessoas.

Um outro aspecto foi o seguinte: o meu Crohn é considerado relativamente leve. Tanto que, várias vezes, eu desconfiava se realmente tinha a doença. Até que vinha uma crise e me provava que eu tinha mesmo. Hehehe. Fato é que, apesar de ser profissional da área também, eu tinha medo da evolução da doença. Sei que ela pode se agravar daqui a 1 mês ou daqui a 100 anos, ou nem acontecer, mas existe a possibilidade. E é a possibilidade que me dava medo. Eu ficava imaginando como seria, como eu ia reagir. O que eu ia falar para as pessoas? Para minha família? Para meus amigos? E vou dizer a verdade: eu fico assustada com a maioria dos depoimentos que vejo em rede social! Nunca tinha comentado isso com ninguém. Essa é a primeira vez.

Enfim… no livro, a Leca vai contando a evolução do Crohn dela. Vai fazendo ganchos com a vida pessoal, com o lado emocional, com a visão dos médicos etc. E a gente vai entendendo o que ela foi passando e, de repente, aquele medo absurdo que eu tinha de passar por certas coisas foi sumindo. Eu lia o que foi acontecendo com ela e, mesmo sabendo a gravidade, não me assustou. Pelo contrário. Me acalmou!

Outra coisa legal é que no livro ela coloca o laudo de alguns exames e até as fotos. Achei interessante que as fotos ela deixou por último, porque tem gente que não gosta de ver. Sabe o melhor disso? Esse livro é extremamente recomendado para médicos e nossos familiares! Não é um livro de portador pra portador. Sabemos que a maioria de nós teve problema com diagnósticos errados, desconhecimento de médicos/psicólogos/enfermeiros/nutricionistas, falta de sensibilidade da família e dos amigos… por isso mesmo esse livro também serve para eles. Se bobear até mais do que para nós, portadores.

A leitura é leve. A Leca conseguiu transformar uma narrativa de uma doença grave num livro leve, tranquilo, que te deixa doido pra terminar de ler logo. Eu ia pedir para minha mãe ler o livro, mas nem deu tempo porque ela já veio me dizendo para eu avisar quando terminasse porque ela queria ler. E eu quero que ela leia. Quero também que muitos médicos leiam. Minha intenção é presentear alguns, porque vai ser muito importante para eles também. E, com isso, também é bom para nós, portadores.

Essas duas lindas na foto e pouco convencidas somos eu, Julianne, e a Leca, a autora. Quem quiser adquirir o livro é só entrar nesse site aqui ou pelo site da AMDII. Ah, só gostaria de frisar que parte da venda dos livros será revertida para a ONG que ela foi presidente por anos continuar ajudando os portadores!

Registros de uma CROHNista

Assuntos Relacionados
Talvez você goste também
Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *